O Papa recebeu em audiência os missionários combonianos reunidos em Capítulo até 30 de junho, em Roma. E insistiu no aspecto do “ir além” e evitar a tentação da autorreferencialidade.

Bianca Fraccalvieri – Vatican News
18/06/2022
http://www.vaticannews.va

O estilo do missionário foi o tema o discurso do Papa aos participantes do Capítulo Geral dos Missionários Combonianos do Coração de Jesus, recebidos em audiência este sábado. Francisco inclusive foi convidado pelos capitulares a celebrar em eles a festa do Sagrado Coração na próxima sexta-feira. “Agradeço”, respondeu, mas “participarei com a oração”.

Ouça a reportagem :

Ir além ou “kaputt”

“Eu sou a videira, vós sois os ramos” é o tema do 19º Capítulo, que inspirou o discurso do Santo Padre. O Papa recordou as palavras de Jesus aos discípulos, que nada podem fazer sem Ele. “Se estivermos bem presos à videira, a seiva do Espírito passa de Cristo até nós e qualquer coisa façamos trará fruto, porque não é obra nossa, mas o amor de Cristo que atua através de nós.”

Francisco insistiu no aspecto do “ir além” e evitar a tentação da autorreferencialidade.

“Mas quando começamos com esta psicologia, espiritualidade do espelho, deixamos de ir além e voltamos sempre para o nosso coração que esta doente: todos temos o nosso coração doente e a graça de Deus nos salva. Sem a graça, ‘kaputt’ (arruinado). Importante é isto com o Espírito, ir além.”

Este é o segredo da vida cristã, acrescentou Francisco, em particular na missão, aonde quer que seja, Europa, África ou outros continentes. O missionário é o discípulo que está tão unido ao Mestre que as suas mãos, a sua mente e o seu coração são “canais” do amor de Cristo. Não é um proselisita. E o que levam em missão? A misericórdia, a compaixão e a ternura.

“A misericórdia, a ternura, é uma linguagem universal, que não conhece confins”, afirmou o Papa.

O “inferno” de algumas comunidades

O estilo de Deus, todavia, deve ser vivido em comunidade, que é outro aspecto que está sendo debatido pelos capitulares através de quatro temas: regra de vida, formação, ministerialidade e comunhão dos bens.

“Tantas vezes vemos que algumas comunidades religiosas são um verdadeiro inferno, um infermo de ciúmes, de luta de poder e o amor onde está?”, questionou o Pontífice, recordando a importância de testemunhar o amor, que é o que atrai as pessoas.

“Gostaria de ressaltar que também aqui, no trabalho sobre estes quatro aspectos – entre eles interligados – é preciso que tudo seja feito na docilidade do Espírito, de modo que as necessárias planificações, projetos e iniciativas, tudo responda às exigências da evangelização.”

Francisco conclui abençoando os combonianos e desejando um bom prosseguimento dos trabalhos.

O XIX Capítulo Geral está em andamento até o dia 30 de junho, na Casa Geral da Instituto, em Roma. Os participantes capitulares são sessenta e nove, mais quatro observadores. São de 24 nacionalidades diferentes: 30 africanos, 28 europeus, 11 americanos. Os países de origem com mais capitulares são: Itália (13), Uganda (7), RD Congo (6), México, Espanha e Portugal.